terça-feira, 15 de maio de 2012

Este livro pode auxiliar quem encontra dificuldade para escrever os relatórios dos alunos. Vale a pena!!

APRENDER E ENSINAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Bassedas, Eulália; Huguet, Teresa; Solé, Isabel; Bassedas, Eulália; Huguet, Teresa; Solé, Isabel



Este livro é um instrumento útil de reflexão, análise e otimização da prática educativa que é dirigida a crianças pequenas. Não é um receituário, tampouco um discurso genérico. Não diz o que precisa ser feito, nem como fazê-lo, mas justifica determinadas orientações na hora de tomar decisões. Trata-se de uma obra enriquecedora e interessante para os educadores que desenvolvem seu trabalho nesta etapa e para outros profissionais que intervêm em perspectivas diversas em Educação Infantil.



sexta-feira, 11 de maio de 2012

Compartilhando com vocês um vídeo que assisti e curti muito...
   Vídeo: Criança vê... Criança faz.

     video
                                               

             As cem linguagens da CRIANÇA

Ao Contrário, as Cem Existem

 Loris Malaguzzi

A criança
é feita de cem.
A criança tem cem mãos
cem pensamentos
cem modos de pensar
de jogar e de falar.
Cem, sempre cem
modos de escutar
de maravilhar e de amar.
Cem alegrias
para cantar e compreender.
Cem mundos
para descobrir.
Cem mundos
para inventar.
Cem mundos
para sonhar.
A criança tem
cem linguagens
(e depois cem, cem, cem)
mas roubaram-lhe noventa e nove.
A escola e a cultura
lhe separam a cabeça do corpo.
Dizem-lhe:
de pensar sem as mãos
de fazer sem a cabeça
de escutar e de não falar
de compreender sem alegrias
de amar e de maravilhar-se
só na Páscoa e no Natal.
Dizem-lhe:
de descobrir um mundo que já existe
e de cem roubaram-lhe noventa e nove.
Dizem-lhe:
que o jogo e o trabalho
a realidade e a fantasia
a ciência e a imaginação
o céu e a terra
a razão e o sonho
são coisas
que não estão juntas.
Dizem-lhe enfim:
que as cem não existem.
A criança diz:
Ao contrário, as cem existem.

quinta-feira, 10 de maio de 2012





O molde (Tonucci, Francesco. "Com olhos de criança". Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.)

 MAFALDA

"É necessário que o professor deixe de ser um mero conferencista e estimule a pesquisa e o esforço, em vez de se contentar com a transmissão de soluções já prontas".
PIAGET